Por quê eu comecei um acompanhamento com nutróloga e o que eu aprendi.

20:20

Quem me conhece sabe o quanto eu aaaaaaamo comer... Pensando bem, nem é preciso me conhecer para saber disso. É só olhar as minhas últimas fotos do Instagram hihi:


Das minhas últimas 9 fotos, 5 são de comida hihi. Mas, fala sério gurias! Comer não é a melhor coisa? Quer programação melhor do que sair para conhecer restaurantes? A-M-O. E eu como bastante, mesmo. Mas eu não posso ser parâmetro porque eu sou muito magrinha, muito mesmo. Peso 50kg, então nunca (graças a Deus) me privei de comer essas delícias que eu posto. Na época de colégio, quando eu estudava de manhã e tinha o resto do dia livre, meu lanche da tarde era hambúrguer assistindo The O.C (quem mais??) e de sobremesa negrinho vendo Friends. #QUESAUDADE #tempobom.

Mas quando eu comecei a fazer academia, tudo mudou! Eu comecei a treinar justamente para ganhar massa, pois (pasmem) eu não fazia parte da casa dos 50kg - mesmo comendo o que eu comia. Mas isso é uma questão genética e de estrutura de cada organismo. Então eu comecei a fazer musculação puramente por questões estéticas: queria ter mais corpo, ficar com a perna mais grossa e ganhar uns quilinhos. Só que é pura ilusão de quem acha que vai começar a se exercitar e vai conseguir manter a mesma alimentação que levava. Negativo!!! A partir do momento em que a gente decide 'mergulhar' em uma rotina que englobe exercícios físicos, automática e consequentemente aderimos ao estilo de vida saudável, ou o famoso healthy lifestyle. Mas isso é uma decisão inconsciente - e que bom!!! A academia é apenas uma parte do que é necessário para atingirmos nossos objetivos, enquanto a alimentação pode ser considerada responsável por quase que 60% do resultado. E quando descobrimos isso.... é apenas o primeiro passo para passarmos a cuidar da alimentação.

Comecei a ler artigos sobre o assunto, perguntar aos meus professores o que eu poderia trocar na alimentação, o que seria aconselhável eu ingerir para ganhar massa, e etc. O que começou com leves cuidados para um corpo legal, acabou fazendo com que eu me aprofundasse no assunto e me interessasse ainda mais, ao ponto de querer alimentos que não apenas trouxessem um resultado estético bacana para o meu corpo, mas que também tivesse um valor de funcionalidade para o meu organismo. Ou seja, alimentos nutritivos, fontes de vitaminas e etc, que aumentassem a imunidade do meu corpo, me dessem mais energia e etc. Então, procurei por uma nutróloga.

A diferença entre nutricionista e nutróloga é que nutróloga é formada em medicina e nutricionista é formada em nutrição. Quando eu cheguei na nutróloga, achei que ela faria o trabalho de uma nutricionista. Mas não, gente!! É bem diferente. Ela é totalmente voltada para a saúde. Me solicitou alguns exames, me mediu toda e me fez várias perguntas para fazer o meu diagnóstico. Foi muuuuito bom. Ela me deu várias dicas de alimentação, estabeleceu algumas metas comigo e também me receitou vitaminas que suprissem as carências do meu organismo. Até então, tenho amado o resultado! Havia comentado com ela sobre a fraqueza que eu vinha percebendo em minhas unhas e no meu cabelo. Nessa vitamina que ela me receitou, tinha algo especial na fórmula especialmente para essa situação. E tem sido ótimo!!

Aprendi a preferir ingerir alimentos mais ricos em nutrientes, que não apenas 'matem a fome momentaneamente', mas que sejam funcionais também, que forneçam benefícios ao meu corpo. Aprendi, também, que o meu organismo é único e deve ser tratado assim. Tenho procurado conhecer cada vez mais o meu corpo, o que faz com que eu me sinta bem e o que eu posso descartar da minha alimentação. Encontrei várias alternativas saudáveis maravilhosas! Mas, o principal, é que eu aprendi a ter: E-Q-U-I-L-Í-B-R-I-O. Quando eu comecei a malhar, fiquei meio chata. Mas chata mesmo, sabem? Cortei várias coisas (sem necessidade!) porque queria um resultado imediato. Com o acompanhamento nutrológico, estou encontrando o equilíbrio. Nem tanto isso, nem tanto aquilo. Não preciso comer hambúrguer e negrinho todos os dias, mas também não preciso viver sem nunca mais na vida comer um hambúrguer e um negrinho. É difícil encontrar esse ponto de equilíbrio, mas é tão bom! Fala sério, gente! Quem precisa comer uma barra inteira de chocolate? Alguns pedacinhos já matam o desejo. Eu ainda como - e como bem! - mas agora com consciência, sem neura e com equilíbrio. No fim, o que importa é o único objetivo aqui: manter uma vida leve (nos dois sentidos), doce (nos finais de semana hahahaha) e saudável!

Beijos!

You Might Also Like

0 comentários

Comente aqui!